Carmélia

 

Carmélia tinha o humor azedo

Sua diversão era os outros imitar

Irritava todos com seus arremedos

Ninguém queria perto dela ficar

 

Carmélia vivia num palacete

Que mais parecia um curtume

Lá treinava seu cacoete

Curtindo o seu azedume

 

Defeitos físicos ela enfatizava

Palavras maldosas esganiçava

Até que a população irritada

A matou apedrejada