Volynia

 

Volynia vivia apavorada

Tinha medo de tudo que existia

Será que serei abandonada?

Será que aquela borboleta mordia?

 

Volynia não encontrava morada

Pois nada pra ela era seguro

Aqui nunca serei atacada

Bem aqui... atrás do muro 

 

Os olhos ela fechava

Os ouvidos ela tapava

Se escondeu com tamanha perfeição

Que sumiu, morreu de inanição